Um Bolo Na Barriga O Que Pode Ser?

Um Bolo Na Barriga O Que Pode Ser
Entre as causas físicas que podem fazer com que sinta que há uma bola na barriga que se movimenta estão as hérnias abdominais, a mais comum é a hérnia umbilical (junto ao umbigo), mas podem surgir ao longo de toda a linha média do abdômen, onde os músculos abdominais estão unidos ou, caso tenha sido operado, pode aparecer na área da incisão.

Contents

O que pode ser sentir uma bola na barriga?

Formada em Publicidade e Propaganda. Antes de migrar para o mundo jornalístico, trabalhou na área de comunicação interna e foi intercambista nos EUA. i Atualizado em 4 de janeiro de 2022 Publicado em 2 de dezembro de 2014 Um nódulo no abdômen é uma pequena protuberância ou área inchada na região da barriga.

  1. Os sintomas que acompanham o aparecimento do nódulo podem indicar a causa e gravidade do problema;
  2. Na maior parte dos casos, um nódulo no abdômen é causado por uma hérnia abdominal – que ocorre quando houve esforço extremo em uma área onde os músculos não estavam totalmente preparados e fortalecidos;

Isso leva os órgãos internos da região da barriga a formarem protuberâncias na parede abdominal, que causam, consequentemente, à formação de nódulos visíveis ou sensíveis ao toque. Outras causas de um nódulo no abdômen incluem:

  • Hematomas (acúmulo de sangue sob a pele em decorrência de um ferimento)
  • Lipoma (acúmulo de tecido adiposo sob a pele)
  • Gânglios linfáticos
  • Criptorquidismo
  • Tumor na pele ou nos músculos

Especialistas que podem diagnosticar um nódulo no abdômen são:

  • Clínico geral
  • Reumatologista
  • Gastroenterologista
  • Angiologista

Estar preparado para a consulta pode facilitar o diagnóstico e otimizar o tempo. Dessa forma, você já pode chegar à consulta com algumas informações:

  • Uma lista com todos os sintomas e há quanto tempo eles apareceram
  • Histórico médico, incluindo outras condições que o paciente tenha e medicamentos ou suplementos que ele tome com regularidade
  • Se possível, peça para uma pessoa te acompanhar

É recomendado que se busque ajuda médica ao notar o surgimento de um nódulo no abdômen – principalmente se ele estiver aumentando de tamanho e for dolorido. A ajuda de um especialista também deve ocorrer em casos onde a hérnia estiver com aparência anormal ou vier acompanhada de febre , dor, sensibilidade e vômitos. Ministério da Saúde Dra. Silvia Calichman, clínico geral e gastroenterologista – CRM 134021/SP.

O que pode ser algo que se mexe dentro da barriga?

A sensação de barriga tremendo pode surgir devido a uma série de fatores, mas se relaciona diretamente com a tendência que algumas pessoas possuem para formar gases intestinais. Isso pode acontecer com bastante frequência também durante o período menstrual ou em pessoas que possuem síndrome do intestino irritável. Um Bolo Na Barriga O Que Pode Ser barriga tremendo – Foto: Freepik Mas existem condições que exigem muito cuidado devido à gravidade, como o aneurisma da artéria aorta. Nesse caso o indivíduo sente uma forte pulsação abdominal e deve buscar atendimento médio imediatamente. Mas para conseguir identificar os motivos da barriga tremendo, você tem que conhece-los.

O que pode ser um inchaço na barriga?

Quando a pessoa está com um inchaço na região inferior da barriga, abaixo da linha do umbigo, as causas podem ser outras, como constipação (dificuldade para evacuar), excesso de gases presos, intoxicação alimentar ou mesmo um sintoma de doenças como apendicite, diverticulite e até endometriose.

O que pode ser inchaço no lado esquerdo da barriga?

A dor no lado esquerdo da barriga é na maioria das vezes um sinal de excesso de gases ou prisão de ventre, especialmente quando não é muito forte, surge em fisgadas ou causa outros sintomas como barriga inchada, sensação de peso na barriga ou arrotos frequentes.

Quais são os sintomas da hérnia na barriga?

Quais são os sintomas de câncer no abdômen?

Porque a barriga mexer como se estivesse grávida?

Mas, afinal, por que a barriga mexe ou treme sem estar grávida? – De acordo com o ginecologista, o principal culpado pela barriga tremer sem estar grávida é o intestino. “Ele é o único órgão que tem movimentação dentro do abdome, ou seja, não é estático”, explica.

“Por conta do peristaltismo, a motilidade intestinal, ele se mexe – diferente de todos os outros órgão dentro do abdome”, completa. No caso das trompas , o especialista explica que elas também possuem certa mobilidade, mas “é mínima e imperceptível”.

Portanto, quando o assunto é a sensação da barriga mexendo ou tremendo, elas geralmente não são responsáveis pela situação. Veja os motivos da sua barriga mexer sem você estar grávida (Foto: Shutter Stock).

Quem tem mioma sente a barriga mexer?

Tire todas as dúvidas durante a consulta online – Se precisar de aconselhamento de um especialista, marque uma consulta online. Você terá todas as respostas sem sair de casa. Mostrar especialistas Como funciona? Um Bolo Na Barriga O Que Pode Ser mioma não dá sensação de movimento! temos de avaliar bem o caso! acredite no seu ginecologista de confiança e faça os exames solicitados

  • Tenho 41 anos e tive diagnostico de leiomiomatose. É possível engravidar com esse diagnostico?
  • olá tenho mioma de 6cm, gostaria de fazer histerectomias, mais ou menos qual valor desse procedimento no geral?
  • Ola, tenho um mioma intramural/ Submucoso de 6,0cm e 5,3 cm, tenho alguma chance de engravidar?
  • Olá na ultrassom mostrou um mioma na parede anterior, intramural,de 4,1×3,6 e estou grávida tem possibilidade de ter um aborto e estou com quase 2 meses
  • Tenho um mioma de 11 por 6,5, é grande? Tenho tido sangramentos descontrolados
  • Boa tarde fiz uma trasvaginal,e estou com um cisto hematico de 33 ×26mm, com essa medida é provável operar?
  • Bom dia. Estou com um mioma medindo 5cm intramural/subseroso. Gostaria de saber se há algum risco na hora do parto e se há algum risco em realizar a laqueadura na hora do parto com esse mioma? Posso também retirá-lo na mesma cirurgia? Obrigada
  • Bom dia Doutor estou com 47 anos tenho miomas é estou sangrando muito , q remédio devo tomar para cortar esse sangramento ?
  • No ultrassom abdominal é possível saber se o paciente nao é mais virgem?
  • Olá, estou grávida de 26s, e tenho 02 miomas grandes, subserosos. Um de 6, o outro de 12cm. A localização é no segmento fundico corporal. Nessas condições, posso ter parto normal? Há riscos?

O que é a mãe do corpo?

‘ Mãe do corpo ‘ é uma expressão popular utilizada tradicionalmente em algumas culturas para explicar os movimentos que algumas mulheres sentem dentro da barriga, como se o bebê ainda estivesse lá dentro.

You might be interested:  Sonhar Que O Bolo Caiu?

O que fazer para diminuir o inchaço abdominal?

Qual o melhor remédio para desinchar a barriga?

Como melhorar o funcionamento do intestino – Para melhorar o funcionamento do intestino e acabar com a barriga inchada é recomendado diminuir o consumo de alimentos que possam aumentar a formação de gases intestinais, especialmente aqueles que fermentam no intestino, como alimentos com glúten, com lactose, ou alimentos com fermento, por exemplo. Algumas dicas de alimentação para desinchar a barriga são:

  • Substituir o pão comum pelo pão do tipo “pita” e torradas especiais sem glúten, assim como cereal ou qualquer alimento que contenha trigo;
  • Trocar o leite e derivados por produtos à base de soja, por exemplo;
  • Substituir os refrigerantes e sucos industrializados por água e coco, pois além de terem menos calorias, facilitam a digestão;
  • Trocar carnes vermelhas, produtos embutidos e enlatados por carne branca grelhada sem molho e produtos in natura.

Além disso, fazer exercício físico e apostar numa dieta mais rica em água e em alimentos com fibra também é muito importante para melhorar o funcionamento do intestino e evitar a formação de gases intestinais, aliviando a sensação de barriga inchada. Confira uma lista de alimentos ricos em fibras para adicionar na dieta. Existem ainda alguns remédios que podem ser utilizados para diminuir a quantidade de gases intestinais, como o Luftal ou as cápsulas de carvão vegetais ativado, mas nesse caso, é recomendado consultar um médico.

Como desinchar a barriga em minutos?

Qual o órgão que fica do lado esquerdo da barriga?

Dor de barriga é um termo popularmente usado para descrever uma série de desconfortos abdominais que vão desde a má digestão até problemas mais graves, como apendicite. Na grande maioria dos casos, o desconforto é passageiro e pode desaparecer sem a necessidade de tratamento.

Mapa da dor de barriga: onde dói? Segundo o gastroenterologista Alexandre Sakano, do Hospital Beneficiência Portuguesa de São Paulo, o primeiro passo para diagnosticar a causa de uma dor abdominal é identificar o local exato da dor.

“Para isso, nós vamos dividir a barriga em nove quadrados, tal qual um tabuleiro de jogo da velha”, explica Sakano (veja na ilustração abaixo). •    Parte superior: hipocôndrios esquerdo e direito. Entre eles, está o epigástrio. •    Região central: está o mesogástrio, o meio da barriga, e os flancos de cada um dos lados.

  1. •    Parte inferior: está o hipogástrio, que fica bem acima do púbis, cercado pelas fossas ilíacas direita e esquerda;
  2. •    Hipocôndrio direito e esquerdo O hipocôndrio é a região abaixo das costelas;
  3. Quando um indivíduo relata dor embaixo da costela do lado direito, as causas mais comuns são pedra na vesícula, problemas no fígado ou algum problema no intestino;

“Se você não estava sentindo nada e, de repente, sente uma dor forte embaixo da costela do lado direito, normalmente é pedra na vesícula”, diz o especialista. Do outro lado, temos o hipocôndrio esquerdo. O principal órgão que se encontra sob esta região é o baço.

  1. “O hipocôndrio esquerdo é uma região que não possui muitos órgãos que causam dor;
  2. Tem o baço, a pontinha do pâncreas e um pouquinho do intestino;
  3. Sentir dor repentina no hipocôndrio esquerdo é raro de acontecer;

Se acontecer, é preciso investigar”, afirma Sakano. •    Epigástrio O epigástrio é a parte superior central da parede abdominal. Ele está localizado entre os hipocôndrios direito e esquerdo. O principal órgão que se encontra sob esta região é o estômago. “A região do epigástrio é popularmente conhecida como boca do estômago e dores nesse local são associadas aos problemas estomacais, como gastrites, úlceras, refluxo”, explica Sakano.

Segundo ele, no caso específico do refluxo, a dor se origina na boca do estômago, mas sobe para o tórax. “Geralmente, o refluxo não causa dor repentina e intensa, pelo contrário. Quem sofre de refluxo convive com o problema há meses, até anos, e sente desconfortos que se assemelham a sensação de ‘queimação’ no peito”, diz o especialista.

Por outro lado, a gastrite ou as úlceras podem provocar dores agudas, que aparecem de repente, e podem ter diversas causas, como problemas de alimentação, ingestão excessiva de bebidas alcoólicas ou mesmo o uso de algum medicamento que irritou a região.

•    Flancos direito e esquerdo Os flancos estão localizados na região umbilical, próximo à cintura. Tanto do lado direito quanto do lado esquerdo, o principal órgão que se encontra sob essas regiões é o rim.

“Caso a pessoa sinta uma dor que irradie dos flancos (lateral do corpo) para as costas, o mais provável é que seja pedra nos rins”, diz Sakano. Além disso, dor na parte frontal do flanco esquerdo pode ser diverticulite, uma inflamação na parede interna do intestino.

  1. Já a dor no flanco direito pode ser apendicite, uma inflamação no apêndice;
  2. •    Mesogástrio O mesogástrio está localizado na região central do abdômen, onde está o umbigo;
  3. O principal órgão que se encontra sob esta região é o intestino delgado;

“O mais comum nos casos de dor nessa região é uma hérnia umbilical. Alguns sinais podem apontar para esse diagnóstico, como identificar que o umbigo que ficou um pouquinho saltado para fora, o que caracteriza uma hérnia”, explica o gastroenterologista. •    Fossas ilíacas direita e esquerda As fossas ilíacas se localizam do lado direito e esquerdo do corpo próximas ao quadril.

Os principais órgãos que se encontram sob esta região são o ceco e o apêndice. No caso específico das mulheres, também estão os ovários. Segundo Sakano, a dor pode irradiar e, por isso, uma mesma causa pode proporcionar dores em regiões próximas.

É o que acontece com os flancos e as fossas ilíacas. De forma geral, dor na fossa direita está relacionada a apendicite e dor na fossa ilíaca esquerda, diverticulite. Além das causas já citadas, dores na região ilíaca também podem estar associadas a problemas ginecológicos nas mulheres, devido a localização dos ovários.

Nesse caso, a dor pode estar relacionada a um cisto de ovário, cisto hemorrágico ou gravidez tubária. “O ideal para fechar o diagnóstico é ter acesso a exames de imagem, como ultrassom, tomografia ou ressonância magnética para ajudar a identificar a origem exata da dor”, afirma o especialista.

•    Hipogástrio O hipogástrio está localizado abaixo da região umbilical e acima da região pélvica, na região do púbis. Nesta região está localizada a bexiga urinária. Nas mulheres, o útero. “Dor na região do hipogástrio está, geralmente, associada a problemas na bexiga, infecção de urina e problemas ginecológicos no útero e ovário”, diz Sakano.

Quando procurar atendimento médico? De acordo com Sakano, é preciso identificar a frequência e a intensidade da dor sentida antes de determinar se é necessário ou não procurar atendimento médico. Dor aguda é o nome dado a dor que aparece de forma repentina, enquanto que dor crônica é o incômodo que se mantém por dias, meses ou anos.

“Dor nunca é uma coisa normal. Contudo, é preciso compreender que sentir desconforto abdominal após comer demais ou comer uma comida mais pesada, como churrasco, é comum. Nesses casos, a dor dura pouco tempo e depois melhora”, explica o especialista. Por outro lado, dor aguda e intensa deve ser tratada com atenção.

You might be interested:  Sonhar Com Bolo De Dinheiro Significa O Quê?

Quando eu aperto a barriga dói?

Formada em Publicidade e Propaganda. Antes de migrar para o mundo jornalístico, trabalhou na área de comunicação interna e foi intercambista nos EUA. i Atualizado em 27 de dezembro de 2021 Publicado em 17 de dezembro de 2014 Sensibilidade no abdome é a dor ou desconforto que ocorre quando se pressiona uma área específica da barriga. A área do abdome é dividida em quatro quadrantes, que são:

  • Superior direto, que compreende o fígado e a vesícula biliar
  • Superior esquerdo, quadrante do estômago e duodeno
  • Inferior direito, que é o do apêndice
  • Inferior esquerdo, quadrante do cólon sigmóide

A sensibilidade exacerbada no abdome geralmente é um sinal de inflamação em um ou mais órgãos localizados na área em que a dor está presente. Além disso, ela também pode ocorrer por uma torção ou obstrução de algum órgão. Outras principais causas da dor aguda abdominal são:

  • Apendicite
  • Abcessos abdominais
  • Diverticulite
  • Doença inflamatória pélvica
  • Hérnias
  • Torção das trompas
  • Cisto ovariano roto
  • Gravidez ectópica
  • Tumores
  • Ascite

O diagnóstico e tratamento de sensibilidade no abdômen dependerão da doença que está causando o problema. Alguns dos casos, como a apendicite , precisam de intervenção cirúrgica de emergência. No serviço de emergência, o médico responsável vai precisar de algumas informações, então estar preparado para a consulta pode facilitar o diagnóstico e otimizar tempo. Dessa forma, você já pode chegar ao consultório com algumas informações:

  • Uma lista com todos os sintomas e há quanto tempo eles apareceram
  • Histórico médico, incluindo outras condições que tenha e medicamentos, vitaminas ou suplementos que tome com regularidade
  • Se possível, leve um acompanhante

O médico provavelmente fará uma série de perguntas, tais como:

  • Qual a intensidade da sua dor?
  • Os sintomas têm piorado com o tempo?
  • Há algo que melhore ou piore os sintomas?
  • Tomou alguma medicação para aliviar a dor?

Como grande parte das condições que podem causar a sensibilidade no abdômen são consideradas situações de emergência, é importante procurar ajuda médica quando o sintoma aparecer. Principalmente caso ele seja acompanhado de:

  • Perda de apetite
  • Dor abdominal ou abdômen distendido
  • Náusea
  • Vômitos
  • Prisão de ventre
  • Diarreia
  • Fezes claras
  • Icterícia
  • Desmaio
  • Febre
  • Presença de sangue no vômito ou nas fezes

Healthline Dra. Cintya Miler De Faria Moler, gastroenterologista – CRM 93462 SP.

O que causa acúmulo de gases?

Flatulência em excesso pode indicar problema de saúde – Quadro causa desconforto físico e constrangimento social ÉRIKA BRAGANÇA, DA AGÊNCIA SAÚDE DF     É natural que o ser humano produza gases intestinais, em média, estudos mostram que um adulto pode expelir gases 20 vezes por dia.

  1. No entanto, o excesso pode denunciar algum problema de saúde;
  2. A situação passa despercebida pela pessoa, afinal, é normal que isso aconteça e é difícil mensurar;
  3. Mas, o quadro de excesso acaba por trazer desconforto físico e constrangimento social;

O gás intestinal é formado pelo que foi engolido e não eructado (liberação pela boca, de ar contido no esôfago e estômago), produzido em parte pela fermentação intestinal. Caracteriza-se pela liberação, voluntária ou não, de ar contido na porção final do intestino.

Pode ocorrer ainda quando se ingere ar pela boca, excesso de fibra, carboidratos não digerido pelo estômago, carne e alimentos muito ricos em proteínas. Outros fatores como genética e má alimentação podem também levar à flatulência.

Além disso, alguns indivíduos podem ter deficiência de enzimas para a digestão, o que causa a fermentação das bactérias. A digestão por parte de algumas bactérias produz mais gás do que outras. Existem casos em que o excesso de gases, acompanhado por diarreia ou prisão de ventre, ocorre juntamente com intolerâncias alimentares.

A intolerância à lactose, por exemplo, é o quadro mais frequente. Mas, existe também a intolerância ao glúten. A paciente Alcione Rosa confessou que já parou em emergência de hospital devido a gases. “Sentia tanta dor que achei que era apendicite ou até ataque cardíaco porque irradiava para o tórax.

Fiz exame de sangue que não acusou nada e o médico acabou pedindo uma tomografia. Quando saiu o resultado, eram gases. Nunca pensei que pudesse produzir tanta dor”, ressaltou. Há pessoas ainda que apresentam sintomas inespecíficos de distensão ou dor abdominal acompanhada ou não de diarreia.

Nesses casos, o mais comum é o paciente sofrer de alguma doença funcional do aparelho digestivo. Rosemary Caldas, chefe do Núcleo de Nutrição Dietética do Hospital Regional do Guará, afirma que o corpo sempre dá sinais quando algo não vai bem.

“A flatulência em excesso é de difícil percepção. Ninguém desconfia porque acha que é normal e vai passar. Mas, nessa fase o organismo já está sendo agredido e quando o paciente chega para a consulta, já está com um quadro mais crítico. São problemas silenciosos e o paciente só aparece quando algo se agrava como é o caso de começar a ter a diarreia constante ou prisão de ventre.

É preciso estar atento”, destacou. O paciente que apresenta o sintoma poderá consultar um nutricionista ou um médico gastroenterologista para que seja feita a pesquisa por meio de exames de sangue e assim, chegar a um diagnóstico.

Os centros de Saúde da SES/DF possuem nutricionista. Para o médico especialista, é necessário encaminhamento específico. Causas da produção de gases: – Lactose (açúcar do leite); – Frutose (açúcar das frutas); – Obesidade – a gordura comprime os órgãos, dificuldade de respirar e mastigar; – Problemas digestivos, ortodônticos e má formação da face; – Hábito alimentar inadequado – alimentação rica em frituras e produtos embutidos – Determinadas fibras vegetais e de carboidratos presentes no trigo, aveia, milho e batatas.

Normalmente o gás oriundo da fermentação de vegetais tende a ser sem cheiro, enquanto que o resultante da digestão de carnes, mal cheiroso; – Evitar alimentos como feijão, repolho, brócolis, ovo, cebola, cerveja, vinho-tinto, por exemplo; – Evitar comer muito rápido ou conversando, mascar chiclete, tomar bebidas com gás, fumar e beber com canudo para evitar a ingestão de ar.

You might be interested:  Quanto É Uma Máquina De Sorvete?

Mais alimentos: Brócolis, couve-flor, Nabo, cebola crua, alho, rabanete, pepino, batata doce, pimentão verde, melancia, abacate, grão de bico, abacate, mariscos e lentilhas.

Quando se está grávida sente um caroço na barriga?

Pápulas pruriginosas e placas de urticária a gravidez Sugerem que as células fetais podem invadir a pele da mãe durante a gravidez e, de alguma forma, levar ao desenvolvimento de lesões.

Como apertar a barriga para saber se está grávida?

Por isso não queira tentar saber se está grávida tocando a barriga, você pode errar feio. Talvez a melhor maneira de saber se você está grávida ou não será colocando a mão sobre o abdômen para tentar perceber os movimentos fetais. Eles geralmente podem ser percebidos a partir da 20 semana de gestação.

Como saber se você está grávida pela barriga?

Qual Área da Barriga Começa a Crescer Primeiro? – A barriga de grávida começa a “crescer” abaixo do umbigo, que é a região onde fica localizado o útero, e este emerge da pélvis. Ela também vai ficando mais dura e o umbigo se sobressai. Com isso é possível notar uma leve saliência ou “inchaço” neste local.

Como apertar a barriga é sentir o feto?

Baixe em PDF Baixe em PDF Durante a gravidez, o útero começa a crescer e mudar de formato. No segundo trimestre, é possível senti-lo pressionando gentilmente a parte inferior do abdômen. Essa pode ser uma forma divertida de se conectar com o seu bebê. Se não estiver grávida, certos sintomas costumam afetar o útero, como cólicas. Consulte um médico se você tiver alguma preocupação.

  1. 1 Deite-se de costas. É mais fácil de localizar o útero nessa posição. Você pode deitar na cama, no sofá ou onde se sentir confortável. Respire profundamente para relaxar.
    • Os médicos aconselham as mulheres grávidas a não passarem muito tempo deitadas de costas, pois o peso do útero pode comprimir um nervo importante, o que atrapalha o fluxo sanguíneo para você e seu bebê. Fique nessa posição apenas por alguns minutos.
    • Você também pode aliviar a pressão utilizando um travesseiro para apoiar um lado do corpo para cima.
  2. 2 Localize os ossos púbicos. Ao encontrá-los, você poderá ter uma noção melhor do local no qual pode sentir o útero. Os ossos púbicos estão diretamente acima da linha dos pelos púbicos. O órgão deve estar localizado entre esses ossos ou um pouco acima dessa área.
    • No começo da gravidez, seu útero ficará por trás ou abaixo dos ossos púbicos, tornando difícil senti-lo. Porém, a parte superior do útero ficará cada vez mais alta em sua barriga com o passar da gravidez.
  3. 3 Sinta a barriga abaixo do umbigo se estiver grávida de 20 semanas. Antes das 20 semanas, o útero ainda estará localizado abaixo do umbigo, que é onde você deve colocar as mãos.
    • O primeiro dia do seu último ciclo menstrual é considerado o início da gravidez. Você pode contar a partir dessa data para saber sua idade gestacional.
    • Ainda é possível sentir o útero se você tiver com menos de 20 semanas.
  4. 4 Encontre o útero acima do umbigo se estiver com 21 semanas ou mais. Mais tarde na gravidez, o órgão ficará acima do umbigo, onde você deverá colocar as mãos para senti-lo.
    • Durante o terceiro trimestre, ele estará do tamanho de uma melancia, portanto, você não terá dificuldade alguma para senti-lo.
  5. 5 Pressione gentilmente as pontas dos dedos sobre a barriga. Comece a movimentar os dedos lenta e cuidadosamente no abdômen. Você sentirá o útero redondo e um pouco firme. Pressione os dedos na parte superior do órgão, chamada de fundo.
    • Você sentirá o fundo como se fosse uma bola firme dentro da barriga.
  6. 6 Meça o tamanho do útero para determinar sua idade gestacional. Em centímetros, meça a distância entre o osso púbico e o fundo do útero. O resultado deve corresponder à sua idade gestacional.
    • Por exemplo, se a distância for de 22 cm, você provavelmente está com 22 semanas de gravidez.
    • Se os números não forem os mesmos, talvez a data original não esteja correta. Os números também podem indicar que o bebê é maior ou menor que o esperado, ou que há uma quantia incomum de fluido amniótico em seu útero.
    • Tente não se preocupar se os números parecerem diferentes do comum. Seu obstetra fará um ultrassom e outros exames para determinar o que está acontecendo.
  1. 1 Ligue para o ginecologista se achar que tem um prolapso uterino. Isso acontece quando os músculos do assoalho pélvico enfraquecem e você não consegue manter o útero no lugar. O problema geralmente ocorre em mulheres na menopausa ou que tiveram mais de um parto normal. Se tiver prolapso uterino, pode parecer que o órgão está caindo pela vagina. Outros sintomas incluem:
    • Uma sensação pesada na pelve;
    • Tecido saindo pela vagina;
    • Dificuldade para urinar ou evacuar.
    • Sensação de folga ou de falta de tônus muscular na vagina durante o sexo.
  2. 2 Observe sintomas de fibroides uterinos. Os fibroides são massas benignas que se desenvolvem com frequência durante a idade fértil. Eles nem sempre apresentam sintomas, mas às vezes, é possível sentir uma pressão ou dor na pelve ou ficar constipada. Você também pode ter menstruações com fluxo pesado ou sangramento entre as menstruações.
    • Entre em contato com um ginecologista se tiver qualquer um desses sintomas.
  3. 3 Preste atenção aos sinais da adenomiose. O tecido endometrial reveste a parede uterina, mas com a adenomiose, ele cresce dentro da parede muscular do útero. O problema geralmente ocorre depois da menopausa. Ligue para um ginecologista se tiver sintomas como:
    • Cólica grave no útero;
    • Dores agudas na região pélvica;
    • Dor durante o sexo;
    • Coágulos sanguíneos durante a menstruação.
  4. 4 Alivie a cólica menstrual. É normal sentir cólica durante a menstruação. Se a sua for grave, a dor pode ser bem intensa. Experimente usar remédios caseiros e analgésicos sem receita, como ibuprofeno. Você também pode colocar uma compressa quente ou pode tomar um banho quente para aliviar a dor.
    • Converse com um médico se as cólicas forem fortes o suficiente para afetar sua rotina ou se piorarem gradativamente. Não deixe de conversar com um ginecologista se as cólicas ficarem cada vez mais fortes depois dos 25 anos.
    • Cólicas que regularmente aparecem fortes podem ser sintomas de alguma doença, como endometriose, fibroide ou doença inflamatória pélvica.